P 2.2

Acesso Aberto – rotas rumo à universalização: soluções nacionais douradas

2018.09.27 — 11:00-12:30

Sobre

A adoção de políticas nacionais, regionais e institucionais para promover o livre acesso ao conhecimento científico contribuíram significativamente para impulsionar o crescimento do acesso aberto. Nesse contexto, a via dourada representa uma das mais importantes rotas para a universalização do acesso aberto a literatura científica e as soluções empregadas complementam os avanços do acesso aberto globalmente com a contribuição das editoras comerciais que passaram a adotar progressivamente soluções de acesso aberto, o surgimento dos megajournals de acesso aberto e dos repositórios de acesso aberto de artigos publicados em periódicos de acesso restrito. Nos últimos anos vimos também a flexibilização das licenças de uso que contribuem para o aumento do número de publicações em acesso aberto, principalmente em consonância com os princípios e as práticas de ciência aberta.

Embora o aumento das publicações em acesso aberto seja perceptível, a distribuição desses títulos entre os países não é homogênea; dois contextos se destacam. De um lado estão os países com uma importante tradição na publicação comercial, especialmente nos EUA, no Reino Unido, na Holanda e na Alemanha e cujo avanço para o acesso aberto é dependente de modelos de negócios que assegurem os retornos financeiros às grandes editoras; e do outro, estão principalmente as economias emergentes, cujos periódicos não despertam muito interesse comercial, sendo majoritariamente publicados em acesso aberto. Entre estes dois ambientes, há ainda iniciativas nacionais de países desenvolvidos que publicam periódicos fora do circuito comercial das grandes editoras.

Nesse cenário, a América Latina é sabidamente uma das regiões do mundo mais avançadas na utilização do modelo de publicação em acesso aberto, como estratégia, para aumentar a visibilidade à produção científica dos países da região. Esse protagonismo é grande medida impulsionado por iniciativas nacionais e regionais, com destaque para o pioneirismo do SciELO, que por meio de seu modelo descentralizado, promoveu o desenvolvimento de uma rede de coleções nacionais de periódicos em acesso aberto, com foco nas condições e prioridades de cada país. Na maioria destes países as coleções refletem a implantação de políticas públicas de apoio à infraestrutura de pesquisa e sua comunicação com ênfase nos periódicos publicados nacionalmente.

Por meio de soluções similares, outros países também têm destacado a importância dos periódicos editados nacionalmente para os respectivos sistemas nacionais de pesquisa, e têm aplicado esforços no desenvolvimento de coleções nacionais de periódicos em acesso aberto (França, Sérvia, Japão, dentre outros) como um dos componentes essenciais de suas estratégias de participação ativa no fluxo global de produção e comunicação científica.

Diante do exposto, este painel analisará as principais características das soluções nacionais mais relevantes, avanços já alcançados, as barreiras e os desafios para a universalização do acesso aberto e alinhamento com a ciência aberta.

Ementa

Periódicos de acesso aberto vida dourada, características das soluções nacionais, modelos de financiamento do acesso aberto, métricas sobre o estado do acesso aberto, barreiras para universalização do acesso aberto, políticas em prol do acesso aberto em consonância com as práticas de ciência aberta.

Como contribuir

Você está convidado a participar e cooperar com a comemoração do SciELO 20 Anos mediante comentários, depoimentos, posts, artigos, etc, relacionados ao tema deste e de outros painéis.

Glossário

Em desenvolvimento.

Bibliografia

ALPERÍN, J.P. and FISCHMAN, G, eds. Made in Latin America: open access, scholarly journals, and regional innovations. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: CLACSO, 2015.

CRAWFORD, W. GOAJ3: Gold Open Access Journals 2012-2017. Livermore, CA: Cites & Insights Books, 2018. Available from: https://waltcrawford.name/goaj3.pdf.

GUEDON, J. C. Open Access and the divide between “mainstream” and “peripheral”. At: e-prints in library & information science, 2008. Register number 10778. Available from:http://eprints.rclis.org/10778/1/Brazil-final.pdf.

LAAKSO, M., and BJÖRK, B.-C. Anatomy of open access publishing: a study of longitudinal development and internal structure. BMC Medicine. 2012, 10, 124. Available from:http://doi.org/10.1186/1741-7015-10-124.

PACKER, A.L. The SciELO Program and Gold Road Open Access. In: SCHÖPFEL, J. Learning from the BRICS: open access to scientific information in emerging countries. Sacramento, CA: Litwin Books, 2015.

PIWOWAR, H and others. The state of OA: a large-scale analysis of the prevalence and impact of Open Access articles. PeerJ. 6, e4375. Available from: https://doi.org/10.7717/peerj.4375.

SCIENCE-METRIX INC. Analytical Support for Bibliometrics Indicators. Open access availability of scientific publications. Montreal: Science-Metrix Inc., 2018. Available from: http://www.science-metrix.com/sites/default/files/science-metrix/publications/science-metrix_open_access_availability_scientific_publications_report.pdf.

Twitter

Em desenvolvimento.

Posts

Em desenvolvimento.

Artigos

Em desenvolvimento.

Depoimentos

Em desenvolvimento.

powered by Odyno gGroupslogo

Coordenadora do Grupo

Secretaria Executiva

Grupo de Colaboradores